terça-feira, 26 de julho de 2016

Querido Diário, eu acho

       Sabe, a vida as vezes é uma grande piada. Uma hora está tudo bem, você tá feliz, tem sua família ao seu lado, melhores amigos de infância, tudo perfeito, mas de uma hora pra outra a vida te tira todas as coisas boas que aconteceram com você. É hilario como em poucos segundos tudo de bom é tirado de você sem nenhuma explicação.

       No dia 14 de Julho de 2016, meu melhor amigo, aquele que foi criando junto a mim, o qual eu confidenciava meus segredos e ele os dele, se matou, sem nos deixar nenhum bilhete ou carta explicando. Muitos dizem que foi por culpa da namorada dele, bom ela tem uma parcela de culpa.

     Mas a questão é, como alguém que nunca mostrou nenhum indicio suicida, não era depressivo, quando tava chateado sempre ligava pra mim ou pra outros amigos do nosso ciclo, oque eu quero dizer é, como alguém feliz, que tinha tudo pode simplesmente se matar? Nessa uma semana e meia veio me perguntando isso, querendo saber o que realmente aconteceu.

     Eu sabia a senha do celular dele, então vi a conversa dele com a ''namorada'' e cheguei a conclusão de que não podemos acreditar e nos deixar levar pelo amor, pois uma hora ou outra iremos fazer loucuras, pequenas ou grandes que foi o caso do meu amigo, Felipe. As pessoas dizem que quem não acredita no amor, é mal amado, eu discordo, a vida vem me dando vários exemplos de que o amor só faz acabar com as nossas vidas.

   Estou tentando seguir com a minha vida, sabe, um dia após o outro, lutando contra a tristeza e a saudade que em cada cinco minutos me vem lembranças dele. Nós fazíamos aniversário no mesmo dia, mas ele era um ano mais novo, e sinceramente, não tenho mais vontade de comemorar essa data que era tão especial pra mim, que desde os meus três anos venho comemorando ao lado dele.

  Então caros leitores, aqui lhes vai um conselho, fuja para o lugar mais longe, corra, não se deixe levar pelo amor, você sempre irá cometer erros que nem sempre serão prejudiciais apenas pra vocês, mas para aqueles que realmente se importam. Porque o que Felipe fez pode até ter sido um ato de alivio para sua dor, mas também foi um ato de dor, solidão e perda para aqueles que realmente o amavam.

  P.S. Desculpem minha demora para lhes escrever, mas eu realmente estou muito mal.
  P.S.2. Perdão pelo assunto pesado, espero que lhes sirva de aprendizado.

                                                                                                                                                  xoxo



terça-feira, 5 de julho de 2016

Relatos

           Relato 4- A mais ou menos dois anos atrás quando ainda namorava, eu sai pra correr no condomínio que meu ex morava, era um habito comum. Mas parece que que nasci virada pra lua, pois sempre algo de ruim acontece quando as coisas estão bem. Eu tinha acabado de passar por uma crise bem feia com o Travis, de chegar ao ponto de passar meses sem nos falar e nos ignorar sempre que nos víamos por causa de seu ciúme, mas conversamos e ele pediu desculpas.
                         
                        Estávamos bem, ele tinha saído pra encontrar o pai dele pra resolverem algo sobre a empresa da família dele quando eu decidi que iria correr, durante o percurso encontrei com um amigo dele e começamos a conversar até eu chegar na casa do Travis, quando eu tava me despedindo dele, o mesmo me beijou muito perto da boca. Foi tipo uma surpresa, não esperava por aquilo, mas foi mesmo na hora que meu ex chegou e viu aquela cena.

                      Travis partiu pra cima do garoto e quebrou o seu nariz, em seguida se virou pra mim, nunca tinha o visto com tanta fúria antes, eu realmente fiquei com medo e com razão. Ele me pegou pelo braço com tanta força que nunca tinha usado comigo, nem na hora do sexo. Me levou para o seu quarto e tirou minha roupa, me jogou na cama e amarrou minhas mãos juntas umas nas outras e começou a me bater, tipo nunca que ele tinha levantado a mão pra cima de mim.

                    Eu nunca apanhei tanto como naquele dia, me bateu com as mãos, com um cinto, apanhei tanto que comecei a sangrar, eu sofri tanto, sangrei horrores que acabei apagando. Acordei no hospital um dia depois, eu simplesmente tava cheia de hematomas e cortes feios, assim que abri os olhos o vi sentado ao lado da minha cama, com os olhos inchados e barba por fazer. Nunca pensei que o cara que eu amava podia me machucar tanto como ele fez.

                   Passei mais um dia no hospital, com ele ao meu lado. Eu já morava com ele na época, os dias que passei ali não falei uma única vez com ele, o mesmo tentou diversas vezes, mas eu tava em estado de choque ainda, sem acreditar que ele tinha realmente feito aquilo. 

                   Acho que foi a única vez que eu tinha terminado o namoro, passamos um tempo separados, eu morando na casa de uma amiga, com ele tentando a todo custo me reconquistar. Eu o amava tanto que depois de muita insistência acabei voltando, eu sei fui burra, como voltar com o cara que te espancava? Mas naquela época eu era imatura demais, pensava que só existia ele no mundo pra mim, mesmo voltando com ele não foi a mesma coisa, eu era meio distante dele, o mesmo tentava de tudo pra voltar o normal, aos poucos eu ia o perdoando.

                Eu fui burra em o aceitar de volta, mas acho que isso me fez crescer mentalmente, minha cabeça é outra nos dias de hoje. Se uma situação acontecesse agora, minhas atitudes seriam bem diferentes. Acho que se o Travis tentasse voltar agora, minha resposta seria não, mesmo ele tendo mudado, ainda existem magoas e cicatrizes abertas dentro de mim.


xoxo

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Relatos




      Relato 3- Quando eu morava em SP as coisas eram bem mais liberais. Nessa época eu já namorava com o Travis e um dia ele teve a grande ideia de querer sexo na piscina da casa dele, sendo que ele morava com o irmão mais velho e que os amigos dele sempre iam lá, ou seja corria o risco de alguém ver, mas quem disse que eu me importava? Eu queria sentir o prazer que ele poderia me dar, sentir ele dentro de mim, apenas isso importava no momento.

                     Eram exatamente 6:15 p.m quando descemos para a área da piscina, não tinha ninguém em casa, o que era um milagre, o que me faz pensar agora se ele não disse ao irmão dele que queria me foder na piscina e não queria ser interrompido. Enfim, ele não esperou nem entrarmos na água e foi logo tirando a parte de cima do meu biquíni, chupando meus peitos de uma forma alucinante, que só ele sabia como me da prazer e me fazer gozar somente com aquele ato. Travis podia até gostar de dominar, mas sei que ficava louco quando eu assumia o controle, então comecei a estimular seu pau, e que pau era aquele!

                  Eu tava com tanto tesão que nem percebi o momento em que ele tirou a parte de baixo da minha roupa de banho e sua própria roupa. Chupadas na vagina com água foi a melhor combinação, ele me chupava tão forte e tão duro que não durei nem dois minutos, ele me pegou pelo cabelo me forçando a fiar de joelhos na escadinha que tinha dentro d'água e colocou seu pau na minha boca, prendeu meu cabelo com uma mão e com a outra massageava meu seio direito, forçando mais ainda a entrada do seu pau na minha boca.

                 Travis me imprensou na parede da piscina e meteu de uma vez forte, me fazendo ver estrelas. A adrenalina corria pelo meu corpo, o medo de que alguém visse me deixava cada vez mais excitada. Uma das várias coisas que eu amava nele, era a demora pra gozar, dessa vez não foi diferente, ele me fodeu por 1h inteira, eu já tinha gozado três vezes, beirando a quarta, quando ele aumentou os movimentos dos quadris, me pondo de costas pra ele, para poder bater na minha bunda, tenho uma cicatriz no bumbum por causa de seus tapas. No momento em que ele gozou dentro de mim, eu vim pela quarta vez, eu estava esgotada, dolorida, mas eu amei.

           P.s. Não usamos camisinha e eu não tomava nenhuma pilula


xoxo

domingo, 3 de julho de 2016

Querido Diário, eu acho?

       Sempre que meu antigo ciclo de amigas tocavam no assunto sexo perguntavam o por quê de eu nunca me referir a ''fazer amor'', sempre me referia a foder. Bom, só é amor quando os dois se amam, o que não era o meu caso, meu ex nunca me amou e ele sempre deixava isso bem claro, eu sei que em um determinado tempo ele passou a gostar de mim, nutria um ciúme louco, mas nunca chegou a me amar, ao contrário de mim. Eu o amava incondicionalmente, eu era ciente dos sentimentos dele, deixe-me explicar sobre ele. Travis era um cara possessivo, não tinha sentimentos, poderia até ter, mas nunca demonstrava, poucas as vezes que ele mostrou deu lado ''humano'' pra mim, e olha que passamos 2 anos e meio juntos, mas ele era bom pra mim.
   
      Ele era um badboy, mas não daqueles que só enxergam um palmo a sua frente. O Travis não, ele tinha algo diferente, algo que cativava, que deixava as meninas com suas calcinhas molhadas, ele era o cara perfeito, ou quase, seu único defeito era o fato de não amar, ou não demonstra o amor. Quando falo que ele não me amava era por isso, pelo fato dele não transmitir nada, apenas o ciúme doentio. Nós tinhas algo inexplicável, nossa sincronia era perfeita, eu o entendia e visse versa, respeitávamos o espaço um do outro, se não fosse a falta de demonstração de carinho, era tudo perfeito.

      Eu ainda não entendo o porquê dele ter ido embora, estávamos no auge do nosso relacionamento, nós morávamos juntos. Um certo dia, eu tava voltando da escola sozinha, o que era incomum, pois todos os dias ele ia me buscar na escola, pois segundo o mesmo, não queria nenhum marmanjo de olho no que era dele. Eu até fiquei feliz, pensei que ele enfim tinha me dado um voto de confiança, mas como tudo na minha vida, eu estava enganada.

    Dentro de várias caixas estavam as minhas coisas, presentes que eu dei a ele, inclusive o medalhão que nós dois usávamos, aliança era muito clichê para nós. Eu logo entendi, ele estava me expulsando da sua vida, eu chorei, implorei, pedi desculpas sem saber o motivo, o fiz me foder mais uma vez, uma ultima vez, mas nada adiantou, no final do dia eu estava no meu quarto sozinha e na manhã seguinte ele tinha partido.

    Não tenho noticias dele faz um tempo já, o amor ainda, pois pra mim quando é amor de verdade nunca acaba, só muda a maneira de amar. Queria só que ele me explicasse o por quê, para enfim deixar ele e todas a bagagem de péssimas decisões que tomei por causa dele morrer, pois eu ainda posso ama-lo, mas não gosto mais dele.


xoxo

Relatos



       Relato 2- Lembro como se fosse ontem quando comecei a fumar, meu ex tinha acabado de me foder e logo depois acendeu um cigarro de maconha, de inicio eu não queria, claro como uma não tão puritana como antes iria fumar, ainda mais maconha? Já não bastava ter cometido o pecado de sexo antes do casamento? Não, não bastava, eu estava tão envolvida na bolha que eu chamava de namoro que eu faria tudo por ele. Então pela primeira vez fumei, e foi uma das melhores sensações da minha vida. Tenho muito o que agradecer ao meu ex, ele me fez viver depois de muito tempo trancada, me fez provar de tudo. Foi a partir daquele momento que adquiri um dos milhares vícios que eu tenho.



                                                                                                                                                    xoxo

Relatos



     Relato 1- Sempre me senti atraída por mulheres, sempre observo quando não usam sutiã, ou como a bunda fica incrivelmente linda em uma calça jeans. Teve um dia que do nada chegou uma amiga minha aqui em casa chorando porque o idiotinha do cara que ela tava afim pegou outra,e tipo eu já tava ficando bem puta porque ela não parava de chorar, então fui lá e beijei ela. Foi impulso, eu sei, poderia te-la assustado e blá blá blá...
                    Mas ela era tão linda pra ficar chorando, enfim ela retribuiu o beijo e puta merda, que beijo, que pegada, uma coisa levou a outra, acabamos nuas e ofegantes em cima da minha cama. Ainda lembro dos seios rosados, redondos e grandes, escapavam das minhas mãos, uma bunda de causar inveja e um gosto delicioso, ela foi minha primeira, ainda mantemos contato, mas nunca fizemos de novo, e acreditem eu quero mais e mais dela.

Primeiramente, oi

Bom, sei que talvez não tenha visualizações, mas vou fazer daqui meu diário, contarei minhas aventuras, minhas fodas, minhas não fodas e meus pensamentos sujos, pervertidos e por muitas vezes confusos. Isso aqui vai ser meu meio de escape, o mundo lá fora é cruel demais e esse foi o melhor jeito que achei para revelar tudo que penso ou sinto. Ter um diário físico também é legal, mas imagina se alguém lê, o quão minha vida se tornaria um inferno, mais do que já é, seria um desastre. Eu acho que enrolei demais, espero que gostem, aqui eu me despeço.